terça-feira, 10 de junho de 2008

Ciúmes - Pela Fê

Olá mamães,

Lá em casa não temos muitos ou nenhum problema com este sentimento. Ou pelo menos ele ainda não está aflorado de modo que possamos perceber e espero que demore muito para que eu note alguma coisa.

Lembro-me que no começo a Nina ficava olhando com uma cara estranha ao ver eu e seu pai nos beijarmos na sua frente. Mas era só uma carinha engraçada. Ela não teve nenhuma reação ruim. E quando notávamos que ela estava com essa carinha pra gente a pegávamos no colo e a beijávamos juntos. Era sempre muito divertido.

Quando engravidei da segunda vez fiquei morrendo de medo de ela ter ciúmes da irmã. Aí, esquematizei toda a conversa com a Nina na maternidade. E olha que ela só tinha 1 ano e meio.
Ela chegou no quarto e eu mandei esconder a Ciça. Subi ela na cama e questionei sobre a minha barriga, pois no dia anterior ela tinha me visto ainda de barrigão.

E ela fez aquela carinha de "Cadê?". E eu respondi que a Cecília havia saído da minha barriga. Que ela era um presente que o papai do céu havia mandado para que eu e a Nina cuidássemos. E perguntei se ela queria ver a Ciça. De pronto quis. E daí pra frente sempre foi um amor só. As duas já se pegaram por conta de uma boneca, de um esmalte, de um baton... Mas nada que durasse mais que 2 minutos e depois muitos beijos e abraços.

Lá em casa é assim, brigou, pede desculpas, beija e abraça.

Já a Ciça não dá a menor pelota pra ciúme, nunca a vi tendo nenhuma crise. Não sei ao certo porque lá em casa é assim. Como elas são meninas, acredito que os ciúmes deveriam ser dirigidos ao pai. Mas nem assim há.

Navegando procurando a definição de ciúme e encontrei:
"As definições do que seria o ciúme compartem alguns elementos centrais: é uma reação frente a uma ameaça real ou imaginaria, e visa eliminar os riscos da perda do ser amado. Também podemos entender o ciúme como uma emoção provinda da noção de que a pessoa amada desvia sua atenção para outro, o que coloca em risco nossa segurança afetiva." (:: VEJA NA FONTE :: )

Sempre achei exemplar aquelas mães que sentam com os filhos para conversar sobre sentimentos e copiei isto para minha vida. Assim, toda semana, nos sentamos para conversar sobre os sentimentos da semana. Acho que esta foi desde o início uma boa terapia para que não se conserve os sentimentos ruins.

Mas calma, tem eu! Sim! Eu! Eu morro de ciúme delas. Nunca foram para a casa de amigos, nem para de parentes, nem para lugar nenhum (exceto colégio) sem a minha companhia. Meio neurótica, né?

2 comentários:

Fernanda disse...

Olá Fê,
penso que o seu comentário complementa o meu, já que a diferença de idades dos meus filhos é tb mt pequena ( quando a Letícia nasceu o Duarte tinha somente 18 meses), e acredito que essa proximidade foi factor positivo no que respeita o ciúme de irmãos.
Não que eu tenha ciúmes dos meus filhos, gosto de tê-los sob a minha protecção apenas, mas já os confiei a familiares por algumas vezes. Porém, partimos de férias em família sempre, seja de Páscoa, seja de verão, seja fim-de-semana! Seja em Portugal, seja no estrangeiro. Disso não abro mão!
Gostei muito dessa idéia da conversa "sentimentos da semana"!
Até breve!

Bella&Rafa disse...

OI FERNANDA, A DIFERENÇA DOS MEUS TMB É BEM PEQUENA, MAIS ACHO QUE POR SER UM CASAL ELES BRIGAM MAIS, TEM MAIS CIUMES UM DO OUTRO. AQUI EM GOIÂNIA NA MATERNIDADE QUE TIVE AS CRIANÇAS ELES NÃO PERMITEM A ENTRADA DE CRIANÇAS PARA VISITAS.... EU QUASE MORRI DE PENA DA ISABELA, TAVA LOUCA PARA VER ELA, PARA ELA CONHECER O RAFAEL, SUPER ANCIOSA....
MAIS POR UM LADO FOI BOM!!! ELA FICOU COMA MINHA MÀE EM CASA, ACHOU O MÁXIMO, POIS ATÉ ENTÃO ELA NUNCA TINHA FICADO TANTO TEMPO LONGE DE MIM ( 2 DIAS KKKK...), E SIMPLESMENTE IGNOROU O RAFAEL QUANDO CHEGAMOS EM CASA!!!! VAI ENTENDER.....