sábado, 21 de junho de 2008

Planejamento familiar - E quem está pra começar?

Maria Fernanda Torres uma Leitora nossa - compositora incrivel que expressa sua musica na coluna MusiCow - pediu pra escrever um relato mesmo ainda não tendo passado pela experiência... Sim, ela é oficialmente uma "tentante"! E fecharemos essa semana sobre planejamento com o belo texto que ela nos enviou!

___________________________________________

A mãe que mora em mim

O Sedex estava me esperando ontem em cima da mesa da sala. Apertei o envelope gordinho e reconheci na hora a letra da minha mãe. Mas não fazia idéia do que tinha ali dentro. No intervalo entre pegar uma tesoura e entornar o conteúdo em cima da cama, eu pensei em todas as hipóteses. Aliás, em quase todas as hipóteses!

Enquanto fui desembrulhando as roupinhas, meu coração foi se apertando e não deu pra segurar as lágrimas. Uma calça com pezinho, luvinhas, casaquinho, um vestidinho florido e cheio de laços... E uma carta do meu pai, dizendo que estes eram os primeiros presentes, comprados no dia de Santo Antônio no Mercado Municipal de Fortaleza, onde ele tinha ido a trabalho.

Fiquei uma eternidade segurando aquelas pecinhas tão miúdas, fazendo carinho, como se pudesse sentir ali dentro o calor de um corpinho gorducho se agitando. Pela primeira vez eu senti a presença de um filho em minha vida. E pela primeira vez, senti que existe uma mãe escondida dentro de mim.

E isso aconteceu justo ontem, que eu tinha escrito aqui sobre a minha vontade de participar deste cantinho, contando as minhas dúvidas e anseios de pré-mãe! De uma hora pra outra, todos os meus pensamentos tão bem pensados, todas as conclusões tiradas, todo aquele aprendizado que eu acumulei durante os últimos meses como “treinante” - hahaha! - tudo virou fumaça!

Ontem zerei meu cronômetro e finalmente assumi pra mim mesma a imensa vontade que eu tenho de ser mãe. Engraçado como ficamos tentando justificar pra nós mesmas (e para os outros) a idéia de ter filhos – quero engravidar porque já estou na idade, porque meu marido quer, porque já temos uma casa, porque já estou casada há tantos anos... Nada disso! Não dá pra racionalizar um momento tão sagrado!

De agora em diante, não vou mais ler estes fóruns loucos na internet, não vou mais fingir que o quarto “desocupado” do apartamento é de hóspede, vou parar nas lojas de neném e olhar as roupinhas com muito amor, sem medo de que as pessoas pensem que eu estou querendo engravidar. Afinal, eu estou querendo mesmo!

Segunda-feira vou chegar pro médico e dizer: Meu querido, eu quero ser mãe! Dá pra me ajudar? Chega daquele papo de “estamos começando a pensar no assunto...”. De hoje em diante estamos não só pensando, mas trabalhando em prol do assunto. E não tem aquele negócio de poupar o marido, de não querer que ele me ache chata por falar sempre em filhos.

Aliás, deixei as roupinhas em cima da cama e, quando meu marido chegou em casa, eu disse pra ele ir olhar o presente. Ele riu um bocado com a cartinha do meu pai, mexeu nas roupinhas, não deu muita bola. Mas quando fomos nos deitar, começamos de repente a falar sobre os nomes de menino e menina, e pela primeira vez nos perguntamos francamente que tipo de pais nós queremos dar aos nossos filhos.

E depois, claro, partimos novamente para os treinos, com a alegria de quem está realmente pronto para receber um lindo presente de Deus!
PS: liguei pro meu pai assim que abri o presente, pra agradecer a surpresa tão linda. E ele me disse pra curtir este momento e pra não contar nada a ninguém... Bom, acho que só vou aceitar a primeira parte do conselho!!!

6 comentários:

Lele disse...

Parabéns, Maria Fernanda!
Que texto lindo!
Emoção pura!
Quero saber sempre das suas novas descobertas!
vc escreve mt bem!
Bjss

Aline Ramalho disse...

Parabéns, decisão acertada.Tenho o Luis Gustavo de três meses, que veio quando menos esperava, sei lá achei que devido a uns problemas que tive(tratamento para engravidar, bebê com má formação) isso não pudesse acontecer tão fácil e como foi fácil.rsrs.Quando vi já era estava grávida no meio de um turbilhão e com menos de 2 meses de namoro. Hoje somos felizes eu, bebê e meu amor e acho que foi sim o momento mesmo sem ser planejado, mas mudou o rumo de nossas vidas. A vivencia de ser mãe está sendo otima, cada sorriso, cada graça que ele faz me derreto. Lágrimas? muitas... com pequenas coisas, em abraçar, em sentir o cheirinho.Vá em frente..

Vanessa disse...

Este espaco eh fofo e cheio de textos interssantes para as futuras mamaes (meu caso)- O texto da Maria Fernanda eh MARAVILHOSO! Assim como ela eh, cheio de emocao e energia.
Vai com tudo, amiga.
Em breve teremos um mini voce+mini marco por aqui!

beijos!

Maria Fernanda - Clave de Lua disse...

Queridas!!
Obrigada por publicar meu textinho! Precisava realmente dividir esta emoção que está apenas começando!!!

E obrigada mais ainda pelos comentários lindos de vocês! Acho que toda esta expectativa vai render muuuuitos textos!!!

Beijo enorme e uma semana de muito amor pra todas nós!!

Mamãe Thatha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mamãe Thatha disse...

Esse blogger é mto legal... as meninas abordam assuntos interesantes de maneira descontraída... até engraçada,mas mantendo um bom nível de profundidade e sensibilidade! Mto legal!!!

beijos meninas e parabéns