segunda-feira, 9 de junho de 2008

Ciúmes - Por Ale

Falando de Ciúmes em uma família que tem uma menina de 13 anos, a Cassiana, e um menino de 02 anos, o Bernardo, e meu marido Humberto.

Meu Deus, o que é ficar entre os três!

Me casei a primeira vez muito nova, tinha apenas 17 anos, e aos 20 tive a Cassiana. Passados 7 anos de casada me separei, e após 8 anos de solteirice, encontrei meu príncipe encantado, meu marido Humberto.Mas com essa nova união vieram os primeiros sintomas do ciúme. O Humberto me olhava e a Cassiana grudava no meu pescoço, ele ia me abraçar e ela pulava para abraçar também. Quase fiquei louca!

Quando chegava a noite e ele ia escovar os dentes, ela corria feito uma louca para deitar do meu lado na cama. Aí ele fazia aquela cara de “Cassi...vou te morder se você não sair daí”.

Mas tive a sorte de ter escolhido um homem que aceitava minha vida por inteiro, e ao invés de tirar ela da cama, ele deixava sempre mais um pouquinho. E quando me dava um presente, ela também ganhava. Ele entendeu bem que não seríamos somente nós dois e sim nós três. Enfim, saímos todos bem desse momento ciúme.

Mas tenho que confessar que para mim não foi fácil; é difícil ter tanto amor para dar e ficar vendo cenas e mais cenas de uma adolescente por achar que eu não a amava tanto, ou que amava menos do que antes. Às vezes eu pensava, será que eles sabem que estou aqui! rsrsrsA parte boa ainda esta por vir!

O Bernardo nasceu há dois anos e foi um neném esperado por nós três. Sempre fizemos questão de que Cassi participasse de tudo, tudo mesmo, que dissesse a respeito do bebê.O quadro da porta da maternidade é uma menina de bicicleta carregando o irmão na garupa; em outro quadro um cenário: lá esta ela brincando de gangorra e pipa com ele. Acho que com isso tive a tranqüilidade na gestação toda. Ela participou e não se sentiu excluída.

Pois, às vezes, nos preocupamos tanto com a gravidez, casa, enxoval, trabalho, que acabamos deixando os filhos nesse momento um pouco esquecidos, ou então com 50% de seu tempo original.

É importante prestar muita atenção.Hoje, percebo que os ciúmes da Cassi com o Humberto passou, e o dela com Bernardo, que foi algo pequeno, também passou. Mas hoje é o Bernardo que tem ciúmes de todos. rssrs..Se a Cassi me abraça, ele faz beiçinho e enche os olhos de lágrimas. Se ela ou qualquer outra pessoa pega algo que me pertence, ele sai falando 1000 vezes que é da Mamãe e não para enquanto o objeto não estiver em minhas mãos.

O Humberto não pode me beijar, abraçar, que lá esta o Bernardo no meio pedindo atenção.
Então a regra aqui é uma: ganhou um beijo, dê um beijo para o Ber também. Nada de cenas, repressões, broncas com o pequeno. Apenas demonstramos que ele também ganha.

Assim ele fica feliz e não provoca aquelas cenas onde a criança se joga no chão para chamar a atenção de quem estiver perto. O que até deixa de ser ciúmes para se transformar em uma birra! Mas mamãe e papai, não briguem com ele por causa disso. Um abraço nesse momento ajuda e afaga muito mais. Não deixem ninguém tratar a criança como um “coitadinho, tá com ciúmes”, porque essa palavra para ele não existe.

O que existe é o medo de perder alguém que ele ama e é referência para todos os passos que deu até hoje. Então o que precisamos explicar a eles é que sempre estaremos por perto, e que aquele abraço e beijo do papai ou do irmão ele também pode ganhar.

Tenho a sorte de ter dois filhos que compreendem tudo que explico, porque é isso que faço o tempo todo. Explico!Que vou sair, mas vou voltar! Que o papai me ama, mas que ama ele também!Que meu ex-marido é casado, mas não deixou de amar a Cassi por causa disso!

E posso dizer que desse modo atingi meu objetivo, o ciúmes não existe, e sim o pedido de também queroooo!O Bernardo já esta entendendo bem, o que é "também quero beijo mamãe"!

E meu coração é grande e todos eles moram aqui dentro!

Tenho certeza que eles sabem disso.Um beijo a todas e estou aqui para ajudar!

Ale

2 comentários:

Fernanda disse...

Aqui em casa o ciumes da minha filha foi diferente!!! Quando meu sobrinho nasceu foi muito dificil, hoje meu sobrinho está com três meses e não consigo curtir o garotinho da minha vida porque a Gabi chora e é um choro tão verdadeiro tão sentido que nem sei mais o que fazer! já expliquei de todas as formas mas não tem dado certo.
Acho que é dar tempo ao tempo e nunca deixar de demonstrar que ela é tão amada quanto o primo que chegou ahora.

Fabiane Chianca disse...

Adorei o tema de cuimes..muito legal..Adorei o blog tbm vou sempre voltar!!

Acho que não vai rolar muito ciumes na minha familia apesar de que eu sou muito ciumenta..tenho ciumes pelo meu filho com os avós paternos que estão dando toda a atenção pro outro neto e não estão dando para ele a que ele merece..
Fico na duvida se sou louca ou se tou certa..mas acho que as atenções tinham que ser divididas!!
bjus