sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Praticamente Impossivel!

Relutei muito... Pensei, repensei... Finalmente resolvi fazer o meu depoimento! Esse eh um assunto um pouco que complicado e delicado para mim! Depois do nascimento do Daniel, romance ficou praticamente fora da minha vida e, assim continua ate hoje. Os verdadeiros motivos eu nao sei. Na verdade sao varios...

Tive uma gravidez cheia de problemas pessoais. Foi um momento de muitas brigas com o meu marido. Um momento momento de mudancas. Mudei-me dos Estados Unidos, onde eu tinha um otimo emprego, amigos, carros e casa, para o Canada, onde mora a familia do meu marido. Recomecei do zero... Achei que seria mais facil ter familia por perto durante a gravidez e, ate mesmo, para quando o bebe nascesse. Pura enganacao! Quando cheguei no Canada, sofri com a imensa diferenca entre paises. Sofri com a falsidade da familia do meu marido (pessoas que nunca pude contar), sofri pelo meu marido ter deixado um filho nos Estados Unidos, com a primeira esposa dele, que nao deu permissao para a crianca vir, ou seja, a separacao entre pai e filho foi culpa minha. Ou pelo menos eu era a acusada por ele.

Durante a minha gravidez, meu marido tournou-se "invalido"... incapaz de lavar o proprio copo. Achava que era o sufuciente sair para trabalhar e trazer dinheiro para casa. Sem contar, que ele trabalhava durante a noite e dormia durante o dia. Acordava para malhar, comer e sair para trabalhar novamente.

Nos meus momentos de solidao (durante as madrugadas) eu ficava imaginando o meu relacionamento antes da gravidez. Eramos do tipo de casal de dar inveja a qualquer um... Sempre juntos, andando de maos dadas, iamos ao cinema todas as semanas, tiravamos, pelo menos duas noites na semana para jantarmos fora. Ele sempre ajudava-me dentro de casa... As vezes preparava jantares para mim... Enfim, um NAMORIDO perfeito.

Mas, aquele namorido MORREU... Ja nao existe mais! De repente eu tenha mudado muito tambem! Quem sabe?

Com o nascimento do Daniel, se nao fosse minha mae passar os primeiros dias comigo, eu nao sei o que teria sido de mim. Meu marido nunca foi capaz de ajuda-me 1 dia no primeiro ano e meio do Dan. Nunca acordou para dar uma mamadeira. Nunca passou a noite acordado porque ele tinha febre ou alguma disposicao... Sempre eu! As vezes, morta, de ter passado 3 noites em claro.
Hoje ele ate ajuda um pouco, mas acho que um pouco tarde demais. Ja estou cansada e esgotada! Tenho que trabalhar, cuidar do nosso filho e do filho dele (que a mae resolveu mandar logo depois), cuidar da casa e ainda arrumar tempo para romance.

Desculpe-me, mas se sobrar algum tempinho depois de tudo o que tenho que fazer, eu prefero relaxar.

7 comentários:

Fernanda disse...

Vim aqui por causa da Jo e encontro logo o seu depoimento, Belle!
Acho que a característica das postagens daqui que me marca mais é a honestidade; não há uma visão romanceada da maternidade, nem da vida idealizada da mulher/esposa/mãe. A vida real é assim, com problemas, com desgaste, com frustração, com raiva. Mas tb com luta, superação, esperança e vitórias. Graças a Deus, senão ninguém aguentava, rssss...E a sua vida tb é assim, Belle. Está recheada de vitórias! Eu vejo isso de fora.
As crianças são um ponto de viragem no casal, uma espécie de teste e é muito vulgar que o casal falhe nesta etapa. Contudo, havendo vontade das 2 partes na superação da crise e com muita conversa, essa fase pode, e é, superada. Eu penso assim.
Entretanto, minha querida, parabéns pela coragem e sinceridade!
Bjo

Fernanda disse...

Vim aqui por causa da Jo e encontro logo o seu depoimento, Belle!
Acho que a característica das postagens daqui que me marca mais é a honestidade; não há uma visão romanceada da maternidade, nem da vida idealizada da mulher/esposa/mãe. A vida real é assim, com problemas, com desgaste, com frustração, com raiva. Mas tb com luta, superação, esperança e vitórias. Graças a Deus, senão ninguém aguentava, rssss...E a sua vida tb é assim, Belle. Está recheada de vitórias! Eu vejo isso de fora.
As crianças são um ponto de viragem no casal, uma espécie de teste e é muito vulgar que o casal falhe nesta etapa. Contudo, havendo vontade das 2 partes na superação da crise e com muita conversa, essa fase pode, e é, superada. Eu penso assim.
Entretanto, minha querida, parabéns pela coragem e sinceridade!
Bjo

Re disse...

Na sou mae ainda, mas sempre acompanho o blog e simplesmente amei o seu depoimento, pq isso eh sim um relato muito comum das minhas amigas maes: o cansaço, a dedicação integral, etc fazem com que elas tb deixem de lado o sexo, afinal, nas poucas hrs livres els querem dormir, e dormem, mas com culpa..dificil isso. Bjs

Fernanda Lohn disse...

De um jeito mais sincero vc contou a mesma história que eu para este tema. :)

Não se sinta só. Não sei se o barco está furado, mas estamos no mesmo. Quem sabe a gente se ajuda tirando um pouco da água que tá dentro com umas canequinhas???

bjs

Jo disse...

meu comentario virou um post!

Sam Gui Sam disse...

Na verdade não sei bem o que escrever pq nao nos conhecemos pessoalmente, e realemnete nao quero ser metida.
Mas todas passamos por isso..por diversas vezes quis largar tudo e ficar sozinha..

Entao seja forte e busque sua felicidade... força é o q vc mais tem!!

Parabens pelo belo trabalha q vc esta fazendo com seu filho!! isso vale muitoooo...

Ciça disse...

É, amiga, uma barra o que vc passou... Longe de casa, da família, num país estranho, com um bebê no colo e sem apoio NENHUM! Por isso digo que te admiro e respeito... Escrevo mais por email, pode ser?
Beijão.