sábado, 26 de março de 2011

MÃE LÊ

Olá meninas! Estou achando muito legal os temas, os textos, o blog, os post's, enfim estou adorando tudo.
Como é difícil se apresentar né, falar da gente mesma, é esquisito. Mas vamos lá.

Meu nome é Alessandra, porém prefiro que me chamem de Lê, tenho 36 anos, casada há 05 anos com Islândio (Land), temos uma linda princesa Letícia (Lelê) que completou 04 aninhos em Janeiro. Ela é um encanto, carinhosa, companheira, esperta, linda, linda, linda .... ficaria horas falando dela. É a razão do nosso viver, somos apaixonadas por ela.

Eu sempre quis ter uma família, acredito que pelo fato de ter pais separados, não que eu reclame, pois minha mãe é o minha referência. Somos em 3 irmãos. Ela nos criou sozinha, nos criou independentes e graças à Deus deu tudo certo.

Eu queria muito ser mãe, mas não aconteceu. Fui noiva e quase casei. E sabe que hoje eu lembro que não era pra ser mesmo, não seria feliz, Deus sabe o que faz e acontece tudo na hora certa. O tempo foi passando e como não tinha casado ainda, já tinha avisado minha mãe, se eu não casasse até os 30 anos, iria fazer uma produção independente ou adotaria, porque queria ser MÃE. Mas como Papai do Céu não nos abandona, conheci meu esposo e olha foi no prazo exato.

Foi muito rápido, o conheci em Janeiro. Para minha alegria, ele estava no final de um relacionameto. Me apaixonei, começamos a namorar dia 27/03/2005. Em julho já estávamos morando juntos e em dezembro nos casamos. Em abril/06 estava grávida. E vivemos numa harmonia, numa paz, graças à Deus.


Essa é minha família abençoada e maravilhosa.



Sou muito amiga, confidente, chorona (porém ninguém acredita, porque não demonstro), gosto mais de ouvir do que falar, ainda vou fazer psicologia, por hobby, companheira. Quem não me conhece direito, acha que sou brava, porque sou séria. Mas não apresento perigo algum... rsss

Em casa, dou a durona, exigente, a chata, bem sargentona mesmo. Amo minha filha, mas imponho limites, educação acredito que é o básico que os filhos devam ter. E hoje colho os frutos, pois qualquer lugar que eu vou com a Lelê, ouço elogios, porque ela é comportada, obediente. Mal sabem que eu rezo uma bíblia no ouvido dela no caminho de qualquer lugar que vamos. Ela até me fala ... tá bom mamãe. Bom entendeu o recado ... tadinha.

Assim sou eu ... Eu leio todos os post's, quando consigo tempo, claro.

Beijos a todas !!!

3 comentários:

Angela disse...

A Lê é mais que uma amiga, é minha irmã de alma! São 20 anos de uma linda amizade que não se perdeu no tempo. Não consigo me lembrar de algum grande momento da minha vida desde que a conheci que ela não esteja presente...
Foi no ombro dela que chorei as dores do meu primeiro amor, com ela comemorei a conquista do meu primeiro emprego, segundo, terceiro... a entrada na Faculdade, com ela comi uma pizza sentada no chão do meu primeiro apartamento em comeração pela conquista. Foi ela que meu deu banho e não deixou ser gelado quando tomei meu primeiro porre... rsrs... com ela pulei até me acabar no meu chá de cozinha, formartura, casamento, gravidez, etc, etc, etc...
Com ela chorei várias vezes, troquei confidências, segredos que irão para o túmulo conosco e coisas e tal...
A Lê sempre me protegeu, sempre!! Apesar de termos somente um ano de diferença, sempre a vi como minha irmã mais velha, sempre a admirei, ela sempre me passou segurança. Sempre que íamos embora juntas do colégio eu me sentia segura, parecia que ao seu lado nunca nada iria me acontecer de ruim. E não mesmo!
A Lê é uma pessoa ímpar na minha vida, tudo que disser é pouco, pequeno mediante sua importância.
Lê, pra vc uma frase: Te amo amiga!

Beijo no seu coração,

Angelinha

Maria Fernanda :: www.clavedelua.com.br disse...

Deus sabe mesmo direitinho o que é melhor pra gente! E Ele sempre tem um lindo plano para nós!
Parabéns pela sua família linda!!
Eu também sou a sargenta aqui de casa. E eu percebo que quando afrouxo a corda começa a rebeldia... O modelo quartel funciona bem melhor aqui kkkkk!!
Beijos procê!!

Nanda

Alessandra disse...

Com certeza Nanda, eu acredito e confio nos planos do Senhor.
OLha ser a sargenta tem horas que é ruim, exemplo, na escolinha a Tia perguntou se ela fica mais com o pai, pq tudo é o pai, é a única criança que fala mais do pai, mãe é só minha mãe não deixa eu fazer isso, ou seja, só para chamar a atenção. Mas tudo bem, sei que é bom pra ela, pq por outro lado, fico toda orgulhosa qdo ouço elogios sobre ela ser educada, boazinha, penso que vale a pena. Bjks, Lê